segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Revista da Semana: Bessèges, Qatar e Maiorca

Howard e Farrar ao milímetro
Se na segunda-feira passada tínhamos muitas provas para comentar, o mesmo não se pode dizer desta, agora que o pelotão troca a Oceania e a América do Sul pelo Sul da Europa e pelo Médio Oriente. Assistimos sim ao despontar da promessa francesa Bryan Coquard na Etoile de Bèsseges, onde Ricardo Mestre caiu logo na primeira etapa. E entramos na última semana antes do arranque da temporada portuguesa.

Etoile de Bessèges


A Etoile de Bessèges (Estrela de Bessèges) é a primeira prova por etapas da temporada na Europa e, apesar de não formar um pelotão tão sonante como a Maiorca, Mediterrâneo, Algarve ou Andaluzia, conta com as equipas francesas na máxima força.

Ricardo Mestre era o único português em prova e pela ausência de dificuldades no percurso não era de esperar que estivesse na disputa dos primeiros lugares, mas também era desnecessário estrear o alcatrão. Caiu no final da primeira etapa e já não conseguiu reentrar, perdendo um minuto para o pelotão. Não foi nada de grave e, se era para cair, pelo menos foi numa corrida pouco importante e sem consequências físicas (terminaria a prova em 66º).

A primeira vitória foi para Michael Van Staeyen (Topsport Vlaanderen), de 24 anos, mas o jovem em grande destaque na competição foi Bryan Coquard (Europcar), de apenas 20 anos, que venceu a segunda etapa, a quarta e ainda foi segundo na quinta. Coquard formou-se nos velódromos e apresenta um palmarés de topo. Dos Europeus de 2012 (na Anadia) levou duas medalhas de prata, antes de ir para Londres e se sagrar vice-campeão olímpico de omnium. Fechou a temporada como vice-campeão mundial sub-23 na estrada e é nesta especialidade que pretende fazer carreira.

Depois de um longo período sem grandes figuras, os franceses começam a ganhar algum alento. Não estão ao nível de Hinault ou Fignon, mas Pierre Rolland e Thibaut Pinot parecem ser os mais talentosos trepadores que França teve nos últimos largos anos, tal como Nacer Bouhanni (campeão francês em 2012) e Arnaud Demaré (campeão mundial sub-23 em 2011) para os sprints, aos quais se poderá juntar Coquard.

Entre as duas vitórias de Coquard, o seu colega Jérôme Cousin venceu a terceira etapa, numa fuga que se impôs face ao pelotão por 36 segundos e reduziu o lote de homens a disputar a vitória final, ficando apenas 7 ciclistas a menos de 30 segundos de Cousin.

Quarta etapa para Coquard ao sprint, quinta para Samuel Dumoulin (AG2R) e tudo para se decidir no contra-relógio de domingo à tarde (dia de jornada dupla), onde o melhor foi Anthony Roux (FDJ), ele que já tinha sido segundo no triunfo de Cousin e luta para voltar ao seu melhor depois de um 2012 afetado por problemas físicos. Jonathan Hivert foi apenas 9º no crono mas chegou para vencer a classificação geral, dando assim a primeira vitória do ano à Sojasun. Em tão poucos dias de competição, seis das nove equipas francesas já sabem o que é vencer: Europcar (5 vitórias), Ag2r (1), Cofidis (1), FDJ (1), La Pomme (1) e Sojasun (1).

Volta ao Qatar


Arrancou ontem a Volta ao Qatar, a corrida do deserto em que o único interesse para os ciclistas é o dinheiro e o maior interesse para os telespetadores são os cortes provocados pelo vento. Na estrada os espetadores são poucos e  metade são camelos.

A concluir uma fuga a três, venceu Brent Bookwalter, da semi-suíça BMC, à frente dos suíço Martin Elmiger (da suíça IAM Cycling) e Grégory Rast (Radioshack). O que sobrava do pelotão chegou logo atrás (com o mesmo tempo), sendo o mais rápido Bernhard Eisel, que nos últimos anos serviu de mordomo de Mark Cavendish. Veremos se volta ao seu melhor, ele que tem qualidade para ser um grande classicomano (5º em Roubaix 2006, 7º em Roubaix 2011, vencedor da Gent-Wevelgem 2011 e 3º no Prémio E3 de Flandres 2012).

Entretanto, esta manhã disputou-se um contra-relógio coletivo onde a BMC foi mais forte e aumentou a vantagem de Bookwalter.

Challenge de Maiorca



A Challenge de Maiorca abriu com o Troféu de Palma de Maiorca, a prova mais indicada para sprinters e que teve como vencedor Kenny Dehaes (Lotto), que não vencia desde 2008. Atrás dele ficaram Farrar, Ben Swift, Petacchi, Ventoso e José Joaquin Rojas. Manuel Cardoso e Rui Costa chegaram no pelotão.



Hoje tivemos o Troféu Campos, com Leigh Howard (Orica) a ser o mais forte, Farrar novamente segundo e Rojas terceiro. Depois das lesões de 2012, Farrar é outro que tentar regressar ao seu melhor nível, que é o nível de alguém que pode vencer ao sprint em qualquer grande volta ou disputar os primeiros lugares nas clássicas de paralelo. Manuel Cardoso foi 11º.

Esta semana


Além da continuação da Volta ao Qatar e da Challenge de Maiorca, esta semana teremos a  Volta Mediterrânica (6 a 10), com a presença de Ricardo Mestre. A prova deverá decidir-se no contra-relógio da segunda etapa e na chegada ao Mont-Faron.

No domingo teremos a Prova de Abertura portuguesa, o 3º Troféu Cidade de Loulé, mas disso falarei durante a semana.

2 comentários:

  1. Rui estará por cá alguma equipa estrangeira na Prova de Abertura? Abraço

    ResponderEliminar

Share