sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Il Lombardia: percurso, favoritos e antevisão

Purito conseguiu no Il Lombardia do ano passado uma das vitórias mais importantes da sua carreira
Aproxima-se aquela que era, tradicionalmente, a última grande prova da temporada. Mas porque a tradição já não é o que era (e muito menos nas provas da RCS Sport), o Giro di Lombardia é agora Il Lombardia e foi antecipado no calendário, disputando-se desde o ano passado antes do Paris-Tours. Os organizadores pretendiam assim atrair para a prova os ciclistas que se prepararam para o Mundial (o que é fácil este ano, mas não em 2015 ou 2016, quando os Mundiais forem nos EUA ou no Qatar). Ah, e deixou de se correr ao sábado para se correr ao domingo, uma novidade também implementada na Milano-Sanremo.

Percurso

Monumentos são monumentos, mas cada um tem as suas características muito próprias. O Il Lombardia é o mais montanhoso, com quatro subidas de muito respeito. Primeiro os ciclistas terão que subir para Valico de Valcava (11,6 km a 8%) e enfrentar o Muro di Sormano (10,8 km a 6,7%) já no início da segunda metade. Já perto dos 200km, uma distância bastante respeitável, tem a subida à igreja de  Madonna del Ghisallo (8,5 km a 6,2%), patrona dos ciclistas, e finalmente, com 230 km quilómetros cumpridos, a subida a Villa Vergano (3,2 km a 7,5%). É a mais curta das quatro mas depois de percorridos 230 km torna-se uma tormenta para muitos campeões. Daí até à meta são 6500m de descida e 2800 planos.

Favoritos

Joaquim Rodríguez é o principal candidato à vitória. Terceiro em 2011, vencedor do ano passado, em grande forma como se viu no Mundial e decidido a vingar-se do último domingo. Seguem-se aqueles que tiveram em boa forma no último fim de semana, Alejandro Valverde, Vincenzo Nibali e Rui Costa, que estreia a camisola de campeão mundial, numa das raras vezes que usará o arco-íris com a Movistar. Mas depois de toda a tensão (trabalho) que houve na preparação para o Mundial e toda a distração (descompressão) que pode ter havido após a corrida, algum deles poderá não estar no seu melhor na Lombardia.

Phillipe Gilbert é outro homem a ter em conta, tendo vencido em 2009 e 2010, tal como Peter Sagan, que no Mundial venceu o sprint... para o sexto lugar. A Lampre tem o tri-vencedor Damiano Cunego, mas a principal aposta deverá recair em Diego Ulissi, recente vencedor da Milano-Torino, ou Michele Scarponi. A Sky também não deve apostar muito em Froome depois da má prestação em Florença nem em Urán que lá caiu (pediu para correr aqui para se despedir da equipa em cima da bicicleta) mas tem Sergio Henao.

A Katusha tem um plano B com Daniel Moreno e a BMC com Greg Van Avermaet, a Movistar terá Giovanni Visconti como alternativa a Costa e Valverde, e Bauke Mollema, Domenico Pozzovivo e Rafal Majka fecham o meu lote de homens assinalados. O italiano e o polaco ausentes do Mundial mas com muito bom rendimento em Turim.

***** Rodríguez
**** Valverde, Costa, Nibali e Sagan
*** Gilbert, Ulissi, Scarponi, Moreno e Pozzovivo
** Henao, Mollema, Visconti, Van Avermaet e Majka

Antevisão

O Giro di Lombardia (ok, Il Lombardia) pode até ser vencido por um Oliver Zaugg como em 2011, mas dificilmente fugirá ao guião. 230 quilómetros de enorme desgaste (acrescido pela chuva que dever marcar presença) e decisão na subida a Villa Vergano. Seria interessante ter importantes movimentações nas subidas anteriores, mas é pouco provável que assim seja.

*****
Quem gosta de clássicas e de histórias do ciclismo, deverá gostar de ler a crónica Histórias das cinco clássicas Monumento.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Share