domingo, 15 de fevereiro de 2015

Volta ao Algarve 2015: percurso, favoritos e antevisão

Três que já venceram e um que merece
Passaram mais de dez anos desde a presença de Lance Armstrong na Volta ao Algarve, então para preparar o ataque à história e ao seu sexto Tour de France. Iniciaram-se assim anos de um contínuo crescimento da prova, cada vez com mais estrelas que nos tínhamos acostumado a ver apenas na televisão, cada vez com maior interesse do público internacional. Entretanto chegou a concorrência dos petrodólares de Omã e da televisão da Andaluzia, mas a Volta ao Algarve que irá para a estrada quarta-feira (18 a 22 de fevereiro) continua a ser uma parada de estrelas e a mais interessante prova nacional, numa perspetiva global.

Percurso


Etapas são apenas cinco, mas para todos os gostos. A primeira, não sendo para um sprint massivo e organizado, pode servir aos sprinters que melhor se orientarem nas últimas colinas e na descida final de Albufeira. A segunda etapa será talvez a mais interessante, com uma difícil contagem (4,5 km a 7%) a cinco quilómetros e meio da meta de Monchique, distância onde os da frente tentarão aumentar a vantagem e os de trás tentarão reduzir as perdas.

O contrarrelógio terá este ano 19 quilómetros, um aumento relativo ao ano passado (13,6) que vem aprimorar um dos pontos fortes da Volta ao Algarve: um contrarrelógio substancialmente mais largo que na Andaluzia, e em que podem utilizar bicicleta de contrarrelógio, contrariamente ao que acontece na Península Árabe.

No sábado, a etapa rainha, com chegada ao Alto do Malhão. E no domingo, a mais fácil das jornadas, à medida de uma discussão ao sprint, agora sim em pelotão (quase) compacto e com condições para as equipas dos homens mais rápidos se organizarem.

Favoritos

De entre os participantes, três destacam-se como favoritos à vitória este ano e, e são três ex-vencedores da Volta ao Algarve.

O campeão mundial Michal Kwiatkowski (Eitxx-Quick Step) surge como favorito número um, o mesmo número que envergará no dorsal depois de tão bem se ter exibido e vencido no ano passado. Contrarrelogista de excelência e perfeitamente capaz de vencer em qualquer uma das etapas mais duras desta Algarvia, foi em janeiro segundo no contrarrelógio do Tour de San Luís. Veremos se se apresenta na mesma condição de 2014.

Mas as características que fazem de Kwiatkowski favorito, também fazem de Richie Porte (Sky), vencedor de 2012, outro grande candidato. Excelente contrarrelogista e trepador, no seu caso já deu uma grande demonstração de forma este ano, ao vencer a etapa rainha e ser segundo na geral do Tour Down Under.

Num degrau abaixo surge Tony Martin (Etixx-Quick Step), vencedor em 2011 e 2013 e tricampeão mundial de contrarrelógio. Com um contrarrelógio mais extenso, poderá ganhar tempo a todos os demais candidatos, mas permanece incógnito o seu estado de forma. Já vimos que o tanque alemão é capaz de subir junto dos melhores o Malhão, mas para isso terá que estar em grande forma, o que, para já, não sabemos se é o caso.

Tiago Machado (Katusha) chega ao Algarve depois de boas exibições no Tour Down Under (onde tinha tudo para ser 8º se não caísse no último dia) e na Volta a Múrcia (7º). A Volta ao Algarve é um excelente espelho da sua carreira, colecionador de postos de honra mas sem vitória. Entre etapas e classificação geral, são três segundos lugares e dois terceiros, num total de seis vezes entre os seis melhores da Algarvia. Já é tempo da perseverança ser premiada e tem todas as condições para lutar por etapas e mesmo pela vitória geral.

Quem também traz boas indicações é Luis León Sánchez (Astana), 13º na Austrália e 5º em Múrcia, e o seu colega Rein Taaramäe, que acaba de vencer a Volta a Múrcia. A iniciar a temporada está Robert Gesink (LottoNL-Jumbo), que em boa forma seria um sério candidato ao triunfo.

***** Kwiatkowski e Porte
**** Tony Martin
*** Machado
** Gesink, León Sánchez e Izagirre

Outros ciclistas interessantes de acompanhar serão Zdenek Stybar e Gianni Meersman (Etixx), André Cardoso e Davide Formolo (Cannondale), Tom Van Asbroeck, Paul Martens e Sep Vanmarcke (LottoNL-Jumbo), Andre Greipel, Tony Gallopin, Jens Debusschere e Jurgen Roelandts (Lotto), Ion Izagirre, Rubén Fernández, Adirano Malori e Igor Antón (Movistar), Ben Swift e Geraint Thomas (Sky) e José Mendes (Team Bora).

Lista completa de equipas e participantes disponível aqui.

Chave-da-corrida

O reduzido número de favoritos deixa claro que é uma prova com pouco espaço para surpresas. Existem duas subidas que certamente farão diferenças entre os favoritos e um contrarrelógio. O ciclista mais forte no conjunto destes três momentos decisivos será o vencedor da Volta ao Algarve.

As equipas serão, como sempre, importantes para manter a corrida controlada, mas será muito difícil colocar em ação uma manobra coletiva que desarme os mais fortes fisicamente.

Acompanhamento da prova

Não haverá transmissão televisiva em direto da Volta ao Algarve. Haverá sim resumos diários de 10 minutos na RTP 2. As duas primeiras etapas terão resumo às 23h45, a terceira à 1h15, a quarta à 0h05 e a quinta às 23h00.

O site da prova fará o acompanhamento direto (neste link), também a Rádio Gilão, que pode ser ouvida no seu site, e A Bola TV tem dado destaque à prova nos últimos anos, sendo de esperar que faça o mesmo.

Podem também acompanhar diariamente o que vou escrevendo no Twitter @CarroVassoura (não necessita registo) e, se tudo correr bem, ao final do dia, todos os dias, aqui no blog.

Para a primeira etapa, a mais imprevisível, são favoritos André Greipel, Gianni Meersman e Zdenek Stybar.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Share