terça-feira, 9 de agosto de 2016

Guia para os Jogos Olímpicos - Ciclismo de Pista

De 11 a 16 de agosto disputam-se as provas de ciclismo de pista dos Jogos Olímpicos. De modo a facilitar a compreensão das diversas provas, aqui fica um guia (+- breve) para ajudar a entender as cinco especialidades.

Presente desde a primeira edição dos Jogos Olímpicos da era moderna, em 1896, naturalmente que o ciclismo de pista já sofreu muitas mudanças no seu programa, a mais recente em 2012.

Até então havia um desequilibro entre os dois géneros, com mais provas do lado masculino. Olhando para 2008, estavam presentes as provas de sprint individual, perseguição individual e corrida por pontos para ambos, acrescentando-se o Keirin, o sprint coletivo e a perseguição coletiva e o madison, estas quatro especialidades apenas para homens. O Comité Olímpico Internacional chamou a UCI a redesenhar o seu programa, igualando as provas que se disputavam para homens e mulheres, o que é altamente positivo, mas limitando o número de provas, passando a ser apenas cinco.

Temos desde 2012 cinco modalidades do ciclismo de pista com participação olímpica: Keirin, Sprint individual, Sprint coletivo, Perseguição coletiva e Omnium. Se por um lado é de apreciar o balanço entre modalidades individuais e coletivas (3 individuais, 2 coletivas), por outro o balanço está claramente para as provas rápidas, com 3 de sprint e apenas 1 longa (e coletiva), dado que o Omnium é composto por um conjunto de seis provas. Falta, sobretudo, a perseguição individual.

Keirin

A disciplina
Seis pistards, oito voltas, uma moto.
A moto sai no lado interior da pista a 30 km/h com os seis ciclistas alinhados numa ordem pré-definida por loteria e durante cinco voltas e meia sobe a velocidade gradualmente até que chegue aos 50 km/h. Até lá, os ciclistas podem ultrapassar outros para ganhar posição, mas não podem abrandar para forçar outros a ultrapassar.
A moto sai da pista à falta de duas voltas e meia, quando se inicia a disputa pelo primeiro lugar. Vence o primeiro a ultrapassar a meta.

Sistema nos Jogos Olímpicos
A primeira fase é composta por quatro mangas de seis e sete ciclistas, qualificando-se os dois primeiros de cada manga (2x4=8) para as meias-finais.
Os restantes dividem-se em quatro mangas para uma fase de repescagem, de onde será qualificado o primeiro de cada uma.
As meias finais são disputadas em duas mangas de seis ciclistas, qualificando-se os três primeiros de cada manga para a final e os restantes disputam a corrida entre o 7º e 12º lugares.

2012
Pódio masculino 2012:
1 Chris Hoy (Reino Unido)
2 Maximilian Levy (Alemanha)Simon van Velthooven (Nova Zelândia) e Teun Mulder (Holanda) - empatados

Pódio feminino 2012:
Victoria Pendleton (Reino Unido
Guo Shuang (China)
Lee Wai Sze (Hong Kong)



Sprint individual

A disciplina
Dois corredores, três voltas, 200 m de sprint
Dois corredores partem lado a lado, um do lado de dentro da pista, outro de fora, sendo definido por sorteio a primeira ronda, na segunda ronda trocam e se for necessário uma terceira há novamente sorteio. O ciclista que parte do lado de dentro tem a obrigação de seguir na frente, excepto se o oponente o quiser ultrapassar. Pode ainda parar sobre a bicicleta duas vezes (recordando que as bicicletas não têm travões), cada uma delas num máximo de 30 segundos.
Apesar de terem que percorrer três voltas de 250 metros, considera-se que o sprint é de 200 metros e o relógio apenas começa a contar quando passam na respetiva linha. Vence o primeiro a passar o risco de meta e não são permitidas ultrapassagens pela esquerda se o ciclista da frente está na pista de sprinters.
Em caso de furo ou grave acidente mecânico a corrida será repetida.

Sistema nos Jogos Olímpicos
Antes da primeira ronda os 27 ciclistas presentes fazem um contrarrelógio de 200 metros lançados para determinar os 18 melhores e a sua posição na "grelha".
Na primeira ronda de qualificação, o mais rápido do contrarrelógio compete contra o 18º, o 2º com 17º, o 3º com o 16º e por aí adiante numa corrida apenas, qualificando-se os 9 vencedores para a segunda ronda. Os 9 derrotados dividem-se em 3 corridas de repescagem (corridas a 3), qualificando-se o vencedor de cada uma delas para a segunda ronda.
Os doze corredores presentes na segunda ronda dividem-se em 6 confrontos de uma corrida, os 6 vencedores qualificam-se para os quartos-de-final e os seis derrotados dividem-se em duas corridas a 3, qualificando-se o vencedor de cada uma delas para os quartos-de-final.

A partir dos quartos-de-final, os confrontos são à melhor de 3. Se alguém vencer as duas primeiras, passa às meias-finais e depois à final. Se as duas primeiras corridas tiverem vencedores diferentes, há uma terceira para desempatar.
A final e o confronto pela medalha de bronze também são neste sistema, à melhor de 3.

2012
Pódio masculino 2012:
1 Jason Kenny (Reino Unido)
2 Grégory Baugé (França)
3 Shane Perking (Austrália)

Pódio feminino 2012:
1 Anna Meares (Austrália)
2 Victoria Pendleton (Reino Unido)
3 Guo Shuang (China)

Sprint coletivo

A disciplina
Duas equipas, 3 homens ou 2 mulheres, cada um puxa uma volta

As duas equipas partem nas duas retas da pista, com os seus ciclistas alinhados à largura da estrada. As equipas masculinas são compostas por três homens e as femininas por duas mulheres.
O ciclista que parte de dentro da estrada puxa a equipa durante a primeira volta e depois sai da frente, colocando-se no cimo da pista para não interferir com outra equipa. O ciclista que partiu na segunda posição assume a liderança durante a segunda volta. E no caso das provas masculinas (mais um elemento, mais uma volta), o último ciclista está por sua conta na terceira volta.


Sistema nos Jogos Olímpicos
As nove equipas fazem uma primeira ronda de qualificação e qualificam-se os oito melhores tempos para a primeira ronda. Apesar de não terem influência uma com a outra, são duas equipas ao mesmo tempo, uma de cada lado da pista
Na primeira ronda, alinha a melhor equipa da qualificação com a 8ª, a 2ª com a 7ª, a 3ª com a 6ª e a 4ª com a 5ª. As quatro vencedoras seguem em frente. De entre essas quatro, os dois melhores tempos qualificam-se para a final e o terceiro e o quarto para a corrida pelo bronze.
Na qualificação e na primeira ronda, interessam os tempos. Nas finais, interessa quem ganha cada confronto. Quem vencer a final fica com o ouro e a derrotada com a prata. Quem vencer a corrida pelo terceiro e quarto lugar fica com o bronze.

2012
Pódio masculino 2012:
1 Reino Unido
2 França
3 Alemanha


Pódio feminino 2012:
1 Alemanha
2 China
3 Austrália

Perseguição coletiva

A disciplina
Duas equipas de quatro elementos.
Cada equipa é composta por quatro elementos e as provas têm 4 quilómetros de extensão, 16 voltas (até 2014, as provas femininas tinham 3 quilómetros). Os quatro elementos vão alternando a primeira posição para dividir o esforço, podendo um ficar para trás do grupo. Os tempos são tirados ao terceiro ciclista e vence a equipa mais rápida ou aquela que dobrar a adversária.

Sistema nos Jogos Olímpicos
É feita uma ronda de qualificação, estando cada equipa sozinha na pista, para determinar os oito melhores tempos, que se qualificam para a primeira ronda.
A melhor equipa da qualificação compete com a 4ª melhor, a 2ª melhor com a 3ª melhor, a 5ª com a 8ª e a 6ª com a 7ª. Estranho? Existem duas razões. Por um lado, os confrontos têm que ser entre equipas de qualidade semelhante para evitar dobragens. Por outro lado, as duas melhores não se podem defrontar logo para evitar uma "final antecipada".
Os vencedores dos embates 1º vs 4º e 2º vs 3º defrontam-se na final. Das outras seis seleções, os dois melhores tempos competem pelo bronze. Também haverá corridas para definir as restantes quatro posições, até ao oitavo lugar.

2012
Pódio masculino 2012:
1 Reino Unido
2 Austrália
3 Nova Zelândia

Pódio feminino 2012:
1 Reino Unido
2 Estados Unidos da América
3 Canadá

Omnium

6 provas: Scratch, perseguição individual, eliminação, contrarrelógio, volta lançada e corrida por pontos.
Para as cinco primeiras provas, o vencedor de cada uma recebe 40 pontos, o segundo classificado 38, o terceiro 36 e assim sucessivamente. Aos pontos acumulados nas cinco provas, serão adicionados os pontos da corrida por pontos, de acordo com o regulamento desta.

Passo a explicar cada prova.

Scratch
A corrida mais fácil de compreender. São 15 quilómetros para os homens e 10 quilómetros para as mulheres, quem os cumprir primeiro vence. Se alguém der uma volta de avanço ao grupo mais numeroso (pelotão), fica com uma volta de avanço. Se alguém for dobrado pelo pelotão, é eliminado.

Perseguição Individual
Semelhante à perseguição coletiva... mas individual. Dois corredores, um de cada lado da pista. No final juntam-se os tempos de todas as mangas para apurar o vencedor que levará a pontuação máxima, o segundo e por aí adiante.
São quatro quilómetros para homens e três para mulheres.

Eliminação

Todos os ciclistas competem juntos, a primeira volta é neutralizada e depois, de duas em duas, o último a passar a linha de meta é eliminado até que apenas reste um na pista: o vencedor.
Quando os ciclistas iniciam uma volta de eliminação, os comissários tocam o sino para avisar que haverá sprint no final dessa volta.

Contrarrelógio

1000 metros para homens, 500 metros para mulheres, em contrarrelógio. Ou seja, cada um por sua conta, apenas um de cada vez na pista. A partida é dada com os ciclistas parados. No caso do contrarrelógio do Omnium, são dois ciclistas na pista, partindo em retas opostas.

Volta lançada

Contra-relógio de uma volta (250m), com duas voltas e meia antes para ganharem ritmo.
Em caso de desempate, vence quem tiver melhor tempo nos últimos 200m.

Corrida por pontos
A prova tem 40 km para os homens (160 voltas) e 25 km para mulheres (100 voltas), com sprints a cada dez voltas que atribuem 5 pontos para o primeiro, 3 para o segundo, 2 para o terceiro e 1 ponto para o quarto em cada um desses sprints. Também é possível ganhar 20 pontos se um ciclista ou grupo der uma volta de avanço ao pelotão (grupo mais numeroso) ou perder 20 pontos caso leve uma volta de avanço para o pelotão.

Se dois ciclistas estiverem empatados, o desempate é feito através do lugar ocupado na última volta.

Os pontos conquistados na corrida por pontos acumulam aos pontos que os ciclistas tinham das provas anteriores e quem somar mais é o vencedor do Omnium. Em caso de empate, o desempate é feito pela ordem de passagem na meta da corrida por pontos.


2012
Pódio masculino 2012:
1 Lasse Norman Hansen (Dinamarca)
2 Bryan Coquard (França)3 Ed Clancy (Reino Unido)

Pódio feminino 2012:
1 Laura Trott (Reino Unido)
2 Sarah Hammer (Estados Unidos da América)
3 Annette Edmondson (Austrália)

Nota: as listas de participações finais ainda não foram publicadas. Algumas modalidades poderão ter algum acrescento.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Share