domingo, 26 de julho de 2015

É o Tour. Foi o Tour 2015. Até para o ano!

Sem comentários:
Este Tour promete, hem? Nas semanas antes do Tour, muitos comentaram comigo e com muitos comentei da elevada expectativa que havia para este Tour. Havia quatro ciclistas que tinham vencido grandes voltas recentemente e tudo indicava que estariam nas suas melhores formas. Depois, por arrasto, outra questão. Qual o melhor Tour dos últimos anos? 

sábado, 25 de julho de 2015

Uma etapa para ganhar e 20 para gerir

Sem comentários:
A vitória do Tour 2015 já estava entregue a Chris Froome quando os corredores entraram nos Alpes. A estratégia foi a mesma de 2013. Froome entrou super no Tour, teve uma equipa que o defendeu e fez ganhar tempo muito importante logo na primeira etapa em linha, esteve muito bem no Mur d'Huy e confirmou a excelente forma nos pavés e no contrarrelógio coletivo, onde rebocou visivelmente a sua equipa durante grande parte do percurso. Depois arrasou na primeira chegada em alto, como fez em 2013, e a partir daí, sempre que os seus adversários olhavam em redor, viam o intimidador comboio azul nas primeiras posições.

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Porque falam tanto de Froome e da Sky?

Sem comentários:
Muito se tem falado de Chris Froome e da sua performance neste Tour, sobre as quais muitas suspeitas se têm levantado. Mas porque muitas dúvidas se têm levantado, e porque escasseia informação em português, aqui fica alguma coisa que poderá interessar a alguém.

domingo, 19 de julho de 2015

Uma questão de superioridade

Sem comentários:
Quem é o maior?
A camisola amarela do Tour está entregue a Froome e o único que a pode retirar é o próprio. Van Garderen, Valverde e Contador, além de estarem significativamente distanciados, voltaram a perder tempo em Mende, deixando a indicação de que a tendência é para a diferença se ampliar. Quintana, estando a três minutos do britânico, precisaria de ganhar à razão de um minuto por cada uma das três chegadas em alto ainda por realizar, o que é altamente improvável.

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Um Tour para alegria do Presidente da UCI

Sem comentários:
Do Velódromo para os Pirenéus
A luta pelo segundo e terceiro lugares do pódio sai dos Pirenéus exatamente como saiu de La Pierre-Saint-Martin, como de resto era previsível. A Sky entrou neste Tour com a mesma estratégia de 2013, com Chris Froome a fuzilar a concorrência logo na primeira chegada em alto e desta vez ainda por maior margem, num planeamento muito semelhante ao que implementava outra equipa de azul, liderada pel'O Pai de Todos os Males.

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Do abandono do Rui Costa no Tour

Sem comentários:
O abandono do Tour de Rui Costa é motivo de interesse generalizado para os adeptos portugueses, por razões óbvias. Não vale a pena abordar todas as coisas que fui lendo repetidamente ao longo das últimas semanas nas redes sociais (é, gosto muito de saber o que as pessoas pensam), mas pelo menos abordar algumas questões.

terça-feira, 14 de julho de 2015

Há vida em Marte!

Sem comentários:
O maior talento do ciclismo mundial esteve submerso até aos 26 anos.
Os dias de descanso são sempre muito importantes nas provas por etapas, seja pelas reuniões de empresários que procuram equipa para os seus ciclistas no ano seguinte, seja pela excelente seleção de bifes do lombo que proporciona, ou por um vastíssimo leque de acontecimentos que apenas chegam ao público vários anos mais tarde nas biografias publicadas, e rodízios que às vezes assentam tão bem e noutras assenta tão mal.

Partilhar