segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Vuelta 2015: primeira semana de A(ndaluzia) a Z(é)

Sem comentários:
Tom Dumoulin lidera a Vuelta no primeiro dia de descanso
Se depois do Tour, pese a qualidade do pelotão presente, a Vuelta não consegue disfarçar a sensação de ser uma corrida, por comparação, menor, não ajuda que lhe tenha dado início um simulacro de contrarrelógio coletivo que nem contava para classificação geral. Tão-pouco lhe ajuda o percurso criado, não para o espetáculo televisivo, mas para o Youtube.

terça-feira, 18 de agosto de 2015

Vuelta 2015: Froome em busca da dobradinha

Sem comentários:
Froome, Quintana, Valverde, Nibali, Van Garderen. Muitos dos melhores voltistas do mundo voltam a medir forças na Vuelta, notando-se apenas a ausência de Contador, mas justificando-se facilmente pelas suas participações em Giro e Tour. A estes juntam-se Aru e Landa, Purito Rodríguez e Pozzovivo. Um pelotão de excelência para enriquecer uma prova com carências no que toca ao percurso. Aqui fica a antevisão aos favoritos para esta Vuelta, também uma desculpa para recuperar destas semanas de abstinência.

terça-feira, 4 de agosto de 2015

A Volta a Portugal em agosto, a categoria e as equipas

Sem comentários:
Muito se tem falado da manifesta falta de qualidade do pelotão desta Volta a Portugal, reduzido a apenas 114 corredores à falta de 4 etapas, e sendo o melhor corredor estrangeiro de equipas estrangeiras apenas 18º classificado.

domingo, 26 de julho de 2015

É o Tour. Foi o Tour 2015. Até para o ano!

Sem comentários:
Este Tour promete, hem? Nas semanas antes do Tour, muitos comentaram comigo e com muitos comentei da elevada expectativa que havia para este Tour. Havia quatro ciclistas que tinham vencido grandes voltas recentemente e tudo indicava que estariam nas suas melhores formas. Depois, por arrasto, outra questão. Qual o melhor Tour dos últimos anos? 

sábado, 25 de julho de 2015

Uma etapa para ganhar e 20 para gerir

Sem comentários:
A vitória do Tour 2015 já estava entregue a Chris Froome quando os corredores entraram nos Alpes. A estratégia foi a mesma de 2013. Froome entrou super no Tour, teve uma equipa que o defendeu e fez ganhar tempo muito importante logo na primeira etapa em linha, esteve muito bem no Mur d'Huy e confirmou a excelente forma nos pavés e no contrarrelógio coletivo, onde rebocou visivelmente a sua equipa durante grande parte do percurso. Depois arrasou na primeira chegada em alto, como fez em 2013, e a partir daí, sempre que os seus adversários olhavam em redor, viam o intimidador comboio azul nas primeiras posições.

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Porque falam tanto de Froome e da Sky?

Sem comentários:
Muito se tem falado de Chris Froome e da sua performance neste Tour, sobre as quais muitas suspeitas se têm levantado. Mas porque muitas dúvidas se têm levantado, e porque escasseia informação em português, aqui fica alguma coisa que poderá interessar a alguém.

domingo, 19 de julho de 2015

Uma questão de superioridade

Sem comentários:
Quem é o maior?
A camisola amarela do Tour está entregue a Froome e o único que a pode retirar é o próprio. Van Garderen, Valverde e Contador, além de estarem significativamente distanciados, voltaram a perder tempo em Mende, deixando a indicação de que a tendência é para a diferença se ampliar. Quintana, estando a três minutos do britânico, precisaria de ganhar à razão de um minuto por cada uma das três chegadas em alto ainda por realizar, o que é altamente improvável.

Partilhar