terça-feira, 23 de Setembro de 2014

Um ano de arco-íris

Sem comentários:
Rui Costa está a terminar agora um ano de arco-íris. Oxalá renove o título, claro, mas o título mundial conquistado em Florença está a terminar, se é que um título mundial e uma medalha de ouro têm prazo de caducidade.

domingo, 21 de Setembro de 2014

As seleções portuguesas para Ponferrada

Sem comentários:
Portugal estará muito bem representado em Ponferrada, com uma seleção numerosa e bem composta de qualidade e experiência.

Houve um período, não muito distante, em que os melhores ciclistas nacionais recusavam representar a seleção nacional por se considerarem em má forma. Um caso extremo deu-se em 2000, nos Mundiais de Plouay, um ano antes de Lisboa, quando Portugal não teve qualquer representante na prova principal, a prova de fundo de elites. Felizmente, nos últimos anos representar Portugal voltou a ser visto como um privilégio e um orgulho.

sexta-feira, 19 de Setembro de 2014

Perguntas Frequentes Carro Vassoura - Campeonatos do Mundo

Sem comentários:
Aproveitando algumas questões pertinentes relacionadas com os Campeonatos do Mundo, colocadas pelos seguidores do Carro Vassoura no Facebook e Twitter, é inaugurada esta categoria de artigos para tentar responder a algumas delas.

quinta-feira, 18 de Setembro de 2014

O novo Recorde da Hora de Jens Voigt

Sem comentários:
Jens Voigt bateu hoje o recorde da hora. Mais do que isso, estabeleceu o primeiro registo daquele que pode ser o novo recorde da hora, com novas regras.

Quem acompanha a página do Carro Vassoura no Facebook poderá já ter lido algumas histórias e curiosidades sobre os anteriores recordistas da hora. Mas para quem não leu e não viu a prova de Jens Voigt, podemos começar por dizer que o recorde da hora consiste em percorrer o máximo de quilómetros em sessenta minutos dentro de um velódromo. Eddy Merckx percorreu 49,431 quilómetros em 1972, registo que permaneceu imbatível até 1984. A partir daí deu-se uma transformação brutal no recorde da hora, batido primeiro por Francesco Moser (duas vezes em 84), Graham Obree (93), Chris Boardman (93), novamente Obree (94), Miguel Indurain (94), Tony Rominger (2x em 94) e Chris Boardman (1996). Mas a partir de Moser os vários recordes quebrados deviam muito à inovação das bicicletas, algumas delas pouco semelhantes ao que estamos acostumados a ver (como poderão verificar ao clicar no nome dos ciclistas).

domingo, 14 de Setembro de 2014

A terceira Vuelta de Contador

Sem comentários:
Foi espetacular a chegada a Ancares, ainda que a classificação geral estivesse desde cedo decidida, pois a etapa não oferecia condições necessárias para provocar mudanças entre os primeiros. Froome estava a 1'19'' de Contador e perdeu mais 18'', Valverde estava a 13 segundos e perdeu 44, Rodríguez estava a 57 de Valverde e perdeu mais 25, Aru estava a 46 de Purito e perdeu mais três. Por aqui se percebe que os primeiros lugares já estavam corretamente ordenados e que as diferenças feitas no sábado seriam (e foram) estreitas quando comparadas às distâncias que já tinham sido construídas.

Mas foi uma etapa atrativa, a começar pelo ataque de Joaquim Rodríguez, que não obteve o resultado que procurava mas fez o que tinha a fazer, sendo mais agressivo do que em qualquer outra etapa até então. Alejandro Valverde também não deixou as suas responsabilidades por mãos alheias, assumindo a perseguição, e Chris Froome jogou pelas suas escassas (escassíssimas opções de vencer). Mesmo que gostemos sempre de acreditar que tudo está em aberto até ao final, para Contador perder a liderança em Ancares teria que chegar depois de Aru. E Alberto Contador já tinha demonstrado ser o melhor neste Vuelta.

segunda-feira, 8 de Setembro de 2014

Ninguém teve pernas para seguir Contador

Sem comentários:
É preciso força nas canetas
A Vuelta chegou ao seu terceiro fim de semana com os nove primeiros classificados separados por menos de três minutos, o que pode ser entendido como um sinal de equilíbrio ou como um sinal de falta de história. Aqui tratava-se do segundo caso e apenas o contrarrelógio individual tinha conseguido provocar algum distanciamento entre os homens que ambicionam o topo da classificação.

Esperava-se algo diferente deste fim de semana alargado (de sábado a segunda), por englobar três das etapas mais duras desta grande volta espanhola, ainda que as duas primeiras estivessem bastante distantes da dureza encontrada no Giro e no Tour. Sobretudo pela falta de montanhas antes da subida final e porque mesmo estas eram relativamente curtas, o que resultou em magras distâncias entre os cinco que lutam pelo pódio: Contador, Valverde, Froome, Rodríguez e Aru. No sábado houve 29 segundos de diferença entre eles, no domingo apenas 12.

terça-feira, 2 de Setembro de 2014

E Nairo Quintana caiu literalmente da liderança

Sem comentários:
A caminho do quarto título?
Tony Martin está nesta Vuelta para preparar o ataque ao seu quarto título mundial de contrarrelógio (consecutivo) e hoje teve o principal teste, o qual passou com uma vitória. Foi onze segundos mais rápido que Fabian Cancellara, o qual no final se queixava do mau piso e da falta de segurança, ele que ultimamente se tem queixado demasiado de demasiadas coisas.

Partilhar