quarta-feira, 1 de julho de 2015

Ciclistas a seguir no Tour 2015

Sem comentários:
Tiago Machado e Rui Costa à partida dos Nacionais, ciclistas a seguir no Tour
Depois da análise ao percurso da Volta a França que se avizinha, depois da análise aos quatro principais candidatos à camisola amarela, tempo para uma vista de olhos, em jeito de apresentação, sobre um leque mais alargado de ciclistas a seguir com interesse, incluindo os quatro portugueses.

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Um Tour, Quatro Favoritos

Sem comentários:
Este Tour de France é aguardado com grande expetativa e pode vir a ser um dos melhores dos últimos largos anos, com a presença de quatro ciclistas que venceram grandes voltas recentemente e se apresentam em teoria com condições de lutar pela vitória ao longo das próximas semanas.

Vincenzo Nibali e Chris Froome, vencedores dos dois últimos Tours, Alberto Contador e Nairo Quintana, vencedor dos últimos Giros. Cada um com as suas características, entre os quatro venceram sete das últimas oito grandes voltas, todas com exceção da Vuelta do avô Horner. São o tema do artigo de hoje.

quinta-feira, 25 de junho de 2015

"A Clean Break", uma fuga limpa, o livro de Christophe Bassons

Sem comentários:
A carreira de Christophe Bassons foi curta, apenas seis anos, mas deixou a sua marca, ainda que para a generalidade dos adeptos seja completamente desconhecido. Em poucas linhas se resume como Bassons se destacou dos demais. E em mais algumas, porque o seu livro vale tão a pena.

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Volta a França 2015: perfis e antevisão de todas as etapas

Sem comentários:

O Carro Vassoura retoma à marcha para a Volta a França, com a antevisão das 21 etapas que animarão a próxima semana. Um artigo para ler já, ou para ir lendo aos poucos, com o passar dos dias e das montanhas. E dos contrarrelógios. E dos pavés. E das outras etapas.

domingo, 31 de maio de 2015

Giro d'Itália 2015: o segundo de Contador pela segunda vez

Sem comentários:
Alberto Contador abanou mas ficou de pé para conquistar o seu segundo Giro d'Itália pela segunda vez na sua carreira.

A pergunta que mais ouvi ao longo deste Giro é quem é este Landa?, o que me parece absolutamente justificável perante a surpreendente prestação do espanhol. Era um ciclista relativamente promissor e por isso, quando a Euskaltel terminou, foi para a Astana, com um contrato de dois anos. No ano passado esteve por lá, sin pena ni gloria, e neste inverno sofreu uma mononucleose, o que o deverá ter assustado, pois tinha que fazer na presente temporada algo que justificasse um contrato para a seguinte. Vai daí, investe tanto na sua recuperação que passa de enfermo no inverno para revelação do Giro, e esta prestação é capaz de lhe valer uma melhoria de meio milhão de euros por ano em relação ao atual contrato. Tudo muito Froome. Mikel Landa sai do Giro em terceiro na geral, com duas vitórias de etapa que apenas não foram três porque noutro dia Intxausti chegou fugido. A ideia que fica é que Landa foi o mais forte na montanha, perdendo a Volta a Itália apenas no primeiro terço do contrarrelógio e nas esperas por Fabio Aru.

domingo, 24 de maio de 2015

Landa vence e Contador reforça liderança na Montanha de Pantani

Sem comentários:
Pela segunda vez, o Giro d'Italia chegou hoje a Madonna di Campiglio, ponto indissociável da carreira de Marco Pantani. Ali, à falta de dois dias para o término da prova, Pantani chegou à quarta vitória de etapa no Giro de 1999, com mais de cinco minutos e meio de vantagem sobre o segundo e a Volta a Itália praticamente assegurada, depois da dobradinha Giro-Tour de 1998. Ali, de onde partia a penúltima etapa, Pantani ultrapassou o limite de hematócrito permitido (50%) e foi expulso da corrida.

sábado, 23 de maio de 2015

Começa um novo Giro, nas mãos de Contador

Sem comentários:
Começaria depois da etapa de hoje um novo Giro. A Astana saiu das duas primeiras chegadas em alto com Aru, Landa e Cataldo bastante próximos e a Sky, apesar da superioridade de Porte nas montanhas, chegava ao contrarrelógio com o König à frente do australiano. Como estavam as coisas, era um esforço inútil tentar antever quem se sacrificaria por quem, uma vez que tudo dependeria do rendimento de cada um no crono. E o novo Giro que amanhã começa, está nas mãos de Contador.

Partilhar