terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Motores nas bicicletas: quando o mito virou realidade

Sem comentários:
No passado sábado, nos Mundiais de ciclocrosse, pela primeira fez foi detetada uma bicicleta com motor no ciclismo de competição. Depois de vários anos de suspeitas, a confirmação está aí: eles existem e chegaram à competição. Até onde já levaram ciclistas, não se sabe. Até onde levarão o ciclismo também não. No limite, levarão ao seu final.

domingo, 31 de janeiro de 2016

Volta ao Algarve 2016: análise ao percurso e guia onde ver

Sem comentários:
A duas semanas do arranque, o Carro Vassoura já está sincronizado na Volta ao Algarve e, à semelhança do ano passado, apresenta a análise ao percurso apoiada por (uma espécie de) um guia com locais para acompanhar a prova no terreno.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Coppi & Bartali: Dois Ciclistas e uma Guerra - O final

Sem comentários:
Gino Bartali e Fausto Coppi tiveram tanto a uni-los como a separa-los. No primeiro prato da balança está a incapacidade de separar a vida do ciclismo. Não imaginavam uma vida sem ciclismo e por isso Bartali correu até aos 40 anos de idade, quando tudo era muito mais desgastante do que hoje, e Coppi correu até à mesma idade, que foi a da sua morte.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Coppi & Bartali: Dois Ciclistas e uma Guerra - O Reinado de Coppi

Sem comentários:
Gino Bartali tinha-se colocado em 1948 como o melhor ciclista do mundo, mas a federação italiana estava determinada em evitar a repetição de episódios como a recusa de Fausto Coppi correr o Tour ou a marcação homem-a-homem entre os dois no Campeonato do Mundo. Nesse sentido, Alfredo Binda começou logo em março as negociações com ambos para colocarem os interesses da seleção a cima dos interesses pessoais. A estratégia era simples: ajudar-se-iam mutuamente até ao início das montanhas e, aí chegados, seria a estrada a entregar a liderança.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Coppi & Bartali: Dois Ciclistas e uma Guerra - O Reinado de Bartali

Sem comentários:
Com a Itália a entrar na Guerra no dia seguinte à primeira vitória de Fausto Coppi no Giro, a prova apenas se voltaria a disputar em 1946 e o Tour no ano seguinte. O ciclismo não parou em absoluto e ainda em 1940, já depois de convocado para o serviço militar, Gino Bartali venceu a Volta à Lombardia.

Partilhar