terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Malhão e info útil (com mapa): como chegar e estacionar

Sem comentários:
Algumas das perguntas que tem sido feitas sobre a Volta ao Algarve estão relacionadas com o Alto do Malhão e como lá chegar para ir ver a etapa. Sendo uma aldeia no meio da serra, pode não ser fácil de localizar mesmo em alguns aparelhos GPS ou mapas, motivo pelo qual as questões se tornam pertinentes. Por isso, aqui ficam algumas orientações e sugestões.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Motores nas bicicletas: quando o mito virou realidade

Sem comentários:
No passado sábado, nos Mundiais de ciclocrosse, pela primeira fez foi detetada uma bicicleta com motor no ciclismo de competição. Depois de vários anos de suspeitas, a confirmação está aí: eles existem e chegaram à competição. Até onde já levaram ciclistas, não se sabe. Até onde levarão o ciclismo também não. No limite, levarão ao seu final.

domingo, 31 de janeiro de 2016

Volta ao Algarve 2016: análise ao percurso e guia onde ver

Sem comentários:
A duas semanas do arranque, o Carro Vassoura já está sincronizado na Volta ao Algarve e, à semelhança do ano passado, apresenta a análise ao percurso apoiada por (uma espécie de) um guia com locais para acompanhar a prova no terreno.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Coppi & Bartali: Dois Ciclistas e uma Guerra - O final

Sem comentários:
Gino Bartali e Fausto Coppi tiveram tanto a uni-los como a separa-los. No primeiro prato da balança está a incapacidade de separar a vida do ciclismo. Não imaginavam uma vida sem ciclismo e por isso Bartali correu até aos 40 anos de idade, quando tudo era muito mais desgastante do que hoje, e Coppi correu até à mesma idade, que foi a da sua morte.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Coppi & Bartali: Dois Ciclistas e uma Guerra - O Reinado de Coppi

Sem comentários:
Gino Bartali tinha-se colocado em 1948 como o melhor ciclista do mundo, mas a federação italiana estava determinada em evitar a repetição de episódios como a recusa de Fausto Coppi correr o Tour ou a marcação homem-a-homem entre os dois no Campeonato do Mundo. Nesse sentido, Alfredo Binda começou logo em março as negociações com ambos para colocarem os interesses da seleção a cima dos interesses pessoais. A estratégia era simples: ajudar-se-iam mutuamente até ao início das montanhas e, aí chegados, seria a estrada a entregar a liderança.

Partilhar