sábado, 21 de fevereiro de 2015

Ciclismo espetáculo no Malhão! (com fotos)

Grande dia de ciclismo no Algarve, com muito público presente no Malhão e uma acesa disputa pela classificação geral, onde apenas o primeiro lugar permaneceu como estava à saída de Tavira.

A etapa foi quase toda ela muito lenta, não por falta de vontade dos ciclistas mas devido à larguíssima distância (218 km) e o muito vento que se fez sentir desde a partida. Perante isto, os sete fugitivos não tinham condições para andar mais rápido no carrossel da serra algarvia, nem tal se podia pedir-lhes, e lá atrás o pelotão não teve dificuldades para controlar a distância, mas também não tinha interesse em anulá-la. 

Quando se aproximava a meta, a Etixx tratou a Volta ao Algarve como se fosse a Volta a Flandres ou o Paris-Roubaix: determinada, agressiva, ao ataque. Não se podia exigir mais à equipa belga, que na primeira passagem pelo Malhão forçou bastante o ritmo para fragmentar o grupo principal e preparar o ataque do segundo classificado Tony Martin.

Eram apenas trinta segundos que separavam Martin de Thomas e a Sky, que vinha a controlar a corrida desde os quilómetros iniciais, foi forçada a um esforço suplementar. Apenas Sebastian Henao e Richie Porte acompanhavam Geraint Thomas na primeira subida ao Alto do Malhão, onde uma multidão esperava os ciclistas. Mesmo sem Rui Costa e sem Alberto Contador, arrisco dizer que estava este ano no Malhão mais gente que nos anos anteriores, um claro sinal de que o ciclismo está em crescimento, se não for em todo o país, pelo menos no Algarve. Homens e mulheres, de todas as idades, rapazes e raparigas, sozinhos, com amigos ou em família, deram uma grande atmosfera à subida final. A Associação de Ciclismo do Algarve e a Câmara Municipal de Loulé, nas diferentes pessoas que por lá passaram, devem estar satisfeitas com o que construíram no Alto do Malhão para os adeptos do ciclismo. E quantos mais adeptos estiverem na estrada, mais interessante se torna assistir no local.

Depois de Martin, foi Zdenek Stybar quem se lançou ao ataque, ainda a mais de dez quilómetros da meta, e Sebastian Henao teve que sacrificar a sua camisola branca para defender a amarela de Thomas. Finalmente, quando já não restava outro apoio ao líder, Richie Porte fez um esforço incrível. Assumiu a dianteira ainda no começo da ascensão e impôs um ritmo insuportável para toda a gente, sacudido toda a concorrência até à meta para uma grande vitória, onde já havia vencido em 2012.

Michal Kwiatkowski foi segundo a três segundos e o terceiro foi Ion Izagirre, que se apresentou nesta Volta ao Algarve em grande forma e, não fosse um furo na segunda etapa - depois de ter atacado muito - estaria agora no quarto lugar da geral. Thomas foi quarto e prepara-se a sua consagração amanhã, com 27 segundos de vantagem sobre o campeão mundial. O terceiro é Tiago Machado, prestes a repetir a classificação de 2010 e perfilando-se como um dos favoritos para a Volta ao Algarve 2016.

Falta o dia da consagração, com chegada a Vilamoura, num cenário ideal para a Lotto ensaiar o comboio que trouxe a Portugal. André Greipel, Gianni Meersman e Ben Swift são os favoritos ao triunfo.














Sem comentários:

Publicar um comentário

Share