sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Tony Martin vence por um sopro de quatro décimos (com fotos)

Dezenas de autocarros, camiões-oficina e caravanas invadiram esta manhã Vila do Bispo para o contrarrelógio individual da presente Volta ao Algarve. Dia sempre especial, onde não há rodas a seguir (ou não deveria) e ficam à vista as forças dos candidatos à vitória. Também mais visíveis ficam os heróis, com os adeptos a aproveitar para os observar durante os seus longos exercícios de aquecimento, bem como as bicicletas especialmente preparadas para estes dias.

Numa Algarvia que tem feito justiça à imagem da região, com dias solarengos e de boa temperatura, hoje os ciclistas tiveram que lidar com o vento habitual do concelho mais a Sudoeste de Portugal. Foi um vento intenso que causou especiais dificuldades aos corredores menos acostumados com as cabras para se manterem na faixa reservada à prova e para enfrentar as (pequenas) subidas da segunda fase do percurso, algumas com a natureza a bater de frente.

Nestas condições não havia espaço para surpresas e os favoritos corresponderam. Tony Martin (Etixx-Quick Step), tricampeão mundial de contrarrelógio, ciclista de fantástica entrega como vimos, por exemplo, no último Tour, venceu por quatro décimos de segundo Adriano Malori (Movistar), que venceu há pouco tempo o contrarrelógio do Tour de San Luis e vinha decidido a melhorar a segunda posição do contrarrelógio algarvio do ano passado.

Geraint Thomas (Sky) mais do que defendeu a camisola amarela. Perdendo apenas três segundos para Martin, ganhou tempo a todos os demais que ambicionavam a vitória final. Mas a classificação geral está muito interessante, com Martin e Kwiatkowski a 30 e 39 segundos, duas cartas para a Etixx jogar amanhã e aos adeptos resta esperar que a equipa belga faça algo de ousado para (tentar) tomar a prova de assalto.

Considerando as diferenças atuais e o que falta de Volta ao Algarve, seria preciso algo de extraordinária no dia de amanhã para que a vitória fugisse a um destes três, mas ainda há outros quatro que podem pensar no pódio. São os Astanas Rein Taaramäe e Luis León Sánchez e os Katushas Sergei Chernetski e Tiago Machado, todos a menos a meio minuto do pódio.

Com a vitória na etapa e a classificação geral em aberto, estão reunidos ingredientes para um grande dia de ciclismo-espetáculo a culminar no ponto de encontro dos adeptos algarvios, o Alto do Malhão.

São favoritos ao triunfo de amanhã Geraint Thomas, Michal Kwiatkowski e Rein Taaramäe.

Uma nota final para lamentar a desistência de Robert Gesink. O holandês abandonou a Vuelta do ano passado após a 17ª etapa, quando era 7º, para acompanhar a sua esposa numa gravidez difícil. Hoje Gesink já estava em Vila do Bispo quando foi decidido o seu abandono para regressar à Holanda por "razões pessoais".

(fotografias mais abaixo)















Sem comentários:

Publicar um comentário

Share