domingo, 22 de fevereiro de 2015

Greipel fecha uma Volta ao Algarve de estrelas (com fotos)

Termina mais uma Volta ao Algarve que trouxe a Portugal cinco dias de grande ciclismo e que leva para o mundo uma excelente imagem da região e do país. Os ciclistas certamente levarão consigo a recordação de uma prova bem organizada e a vontade de regressar no próximo ano.

Diferentemente dos dias anteriores, a primeira fuga a distanciar-se do pelotão viria a ser alcançada ainda muito distante da meta, à falta de cem quilómetros. Mas tanto o primeiro grupo de aventureiros como o segundo evidenciaram a combatividade de quatro equipas que por ela já se tinham destacado: as espanholas Caja Rural e Murias Taldea, a polaca ActiveJet e a portuguesa Efapel. Não se pode exigir às equipas portuguesas que lutem pela Volta ao Algarve, mas certamente pode pedir-se muito mais do que foi feito pela generalidade das formações e por alguns ciclistas que, magicamente, apenas surgem em agosto. A Efapel foi a melhor exceção à regra ao longo dos cinco dias, lutando contra as probabilidades e mostrando o seu equipamento ao público presente.

A Lotto-Soudal é uma das equipas que veio a Portugal para muito mais do que passear e com André Greipel trouxe três dos seus principais lançadores: Marcel Sieberg e os algarvios Jurgen Roelandts e Jens Debusschere. Com uma aproximação à meta muito rápida, o campeão alemão não facilitou e conquistou a sua terceira vitória no Algarve, depois de Lagos em 2010 e Tavira em 2011. É o primeiro triunfo do ano para ele, numa região que bem conhece e por onde ficará mais alguns dias a aproveitar do sol algarvio para preparar as clássicas que se aproximam.

Geraint Thomas (Sky) não teve problemas em segurar a sua camisola amarela e foi acompanhado no pódio por Michal Kwiatkowski (Etixx) e Tiago Machado (Katusha) como segundo e terceiro, Richie Porte (Sky) como melhor trepador e o jovem Davide Formolo (Cannondale), com a camisola branca, um enorme talento sobre o qual os italianos depositam grandes expectativas, ainda para mais depois da temporada que Fabio Aru realizou em 2014. Foi a primeira vez que Formolo subiu ao pódio na Algarvia, uma vez que faltou à cerimónia protocolar no primeiro dia, em Albufeira, e ontem, no Malhão. Uma falta de respeito por parte da Cannondale para com a prova. Thomas venceu ainda a camisola verde e a Katusha a classificação coletiva.

Finalizada a Volta ao Algarve, hora de agradecer a todas as pessoas que seguiram o Carro Vassoura durante esta semana, aqui, no Facebook ou no Twitter e àquelas que o partilharam com os amigos, porque há sempre lugar para mais um a bordo. Agradecer também às pessoas com quem me cruzei ao longo destes dias. Deles nascem oportunidades para fazer algo mais nas próximas semanas. Estamos em movimento!


















Sem comentários:

Publicar um comentário

Share