sábado, 21 de maio de 2016

A etapa rainha sorriu para Chaves

210 quilómetros de etapa rainha para Esteban Chaves, no primeiro dia em que os favoritos à partida mostraram onde estão.

Espero que todos os adeptos tenham desfrutado tanto destas duas etapas quanto eu, e se esse é o caso, são duas etapas difíceis de superar até ao final do Giro. A primeira delas, na sexta-feira, acabou por não fazer estragos na classificação geral, não entre os favoritos à rosa final, porque a liderança de Bob Jungels, como antes a de Gianluca Brambilla e como depois a de Andrey Amador, estava à condição. A segunda fez estragos. E muitos.

Astana e Movistar têm sido as equipas mais dominantes desta prova, desde o primeiro dia, sempre nas primeiras posições do pelotão, Valverde sempre na roda de Nibali e Nibali sempre na roda de Valverde, mas diferentes maneiras de correr. A equipa espanhola prefere colocar ciclistas em fuga desde os primeiros quilómetros para depois auxiliarem o chefe-de-fila, enquanto a Astana adianta muito menos e mantém quase todos em redor de Nibali para depois endurecerem o ritmo.

Já endureceram o ritmo muitas vezes, sobretudo Tanel Kangert e Michele Scarponi têm feito uma grande trabalho, enquanto Jakob Fuglsang tem estado a trabalhar para si. Fica para trás antes que seja preciso puxar, depois vai no seu limite para garantir bom lugar na classificação final, esperando que ninguém note. Um esquema habitual no pelotão. E toda a gente nota.

O endurecimento de ontem por parte da Astana não teve de Vincenzo Nibali a desejada resposta, não conseguindo abrir terreno para os adversários diretos. Hoje sim. O ataque de Nibali colocou cada um na sua posição e foi fundamental para eliminar quase todos os adversários diretos. Sobram dois: Steven Kruijswijk e Esteban Chaves.

Houve muito para dizer no decurso desta etapa, a rainha do Giro d'Itália 2016, mas agora tudo está exemplarmente resumido na classificação da etapa. Chaves e Kruijswijk os melhores, Nibali um pouco pior, os restantes longe. Alejandro Valverde foi o principal derrotado porque sobre ele recaiam expetativas maiores, mas, e há que lembrar, foi apenas um dia. Veremos como evolui. Ele e todos.

Creio que do dia de hoje a luta pela vitória final sai reduzida a três: Kruijswijk, Nibali e Chaves. Separados por 1'32'', mas Chaves já não tem mais contrarrelógios para temer, porque o de amanhã é diferente. Amanhã não importa as capacidades que importam nos restantes cronos. Amanhã importa a capacidade de trepar, sozinho, sem rodas para seguir.

Não quero com isto dizer que Kruijswijk, Nibali e Chaves vão ser os três primeiros do Giro em Turim. Não é isso. Mas penso que um deles será o primeiro. Quem está para trás, tentará chegar ao pódio.

Para amanhã não há jogos de equipa e por isso não vale a pena tentar projetar estratégias agora. Essas dependerão da classificação geral após o dia de amanhã, no dia em que cada um depende exclusivamente da sua capacidade. Para o espetáculo, para os adeptos, o ideal é que Nibali não vista de camisola rosa.

Com Kruijswijk na liderança, já deve ser o suficiente para que, quem de direito, faça os trabalhos de casa e finalmente pare de lhe chamar Cruxevique, mas nem ele nem Chaves têm equipa para controlar a corrida. Nem para endurecer. Por isso, para o espetáculo, o ideal será que Nibali e a sua poderosa Astana tenham que estilhaçar a concorrência na última semana.

Recordando sempre, que nunca se sabe quando acabe o Giro. A qualquer momento um nevão pode levar à anulação de uma etapa.

Classificação geral após 14ª etapa
1 Steven Kruijswijk (Ned) Team LottoNl-Jumbo 60:12:43  
2 Vincenzo Nibali (Ita) Astana Pro Team 0:00:41  
3 Esteban Chaves (Col) Orica-GreenEdge 0:01:32  
4 Alejandro Valverde (Spa) Movistar Team 0:03:06  
5 Andrey Amador (CRc) Movistar Team 0:03:15  
6 Rafal Majka (Pol) Tinkoff Team 0:03:29  
7 Ilnur Zakarin (Rus) Team Katusha 0:03:53  
8 Rigoberto Uran (Col) Cannondale Pro Cycling 0:05:01  
9 Kanstantsin Siutsou (Blr) Dimension Data 0:05:38  
10 Jakob Fuglsang (Den) Astana Pro Team  
11 Domenico Pozzovivo (Ita) AG2R La Mondiale 0:06:00  
12 Bob Jungels (Lux) Etixx - Quick-Step 0:06:10  
13 Stefano Pirazzi (Ita) Bardiani CSF 0:13:30  
14 Darwin Atapuma (Col) BMC Racing Team 0:14:03
15 Maxime Monfort (Bel) Lotto Soudal 0:14:29

Sem comentários:

Publicar um comentário

Share